Por que o engajamento social é importante para a gestão pública?

 

engajamento social tem um peso enorme na gestão pública. Afinal, o poder público existe para servir a população, o que significa que sua participação é essencial para entender o que a mesma deseja dos seus governantes.

 

Por outro lado, o público também entende como as agências públicas são cruciais e estão trabalhando para ajudá-los.

 

Porém, essa relação não é tão simples. A população não tem um interesse tão grande na política, normalmente, o que significa que cabe ao setor público encontrar formas de facilitar esta aproximação.

 

É isso que este post vai mostrar, a importância do engajamento social na gestão pública e algumas ferramentas de aproximação.

 

Existem diversos tipos de engajamento social que podem ajudar a gestão pública. Primeiramente, existem as formas institucionais. Ou seja, são aquelas que são organizadas pelo próprio Estado. Podem ir desde os eventos maiores, como as eleições, até pequenas ações de interação.

 

Já as ações não institucionais, podem variar bastante de tamanho. Mas, em geral, são aquelas organizadas pela própria população. Vão desde as passeatas e movimentos sociais, até pequenas ações como votar online em um projeto de lei, por exemplo.

 

As eleições são o exemplo máximo de como a participação popular é essencial para a gestão pública. A participação da população na política é a única forma de alcançar a democracia de um país. E mesmo em órgãos locais, é interessante garantir o engajamento social.

 

Uma prefeitura, por exemplo, pode saber melhor quais são os problemas de sua cidade e como corrigi-los. Por outro lado, os órgãos mostram para o público as ações que estão sendo tomadas, de modo que eles entendam que sua cidade está ficando cada vez melhor.

 

Ter esta troca é essencial para que a gestão pública seja a melhor possível, para ambos os lados.

 

Como promover o engajamento social?

 

Felizmente, existem diversas formas de promover o engajamento social, garantindo uma comunicação mais simples e direta entre população e o governo.

 

Primeiramente, existem os conselhos públicos. Estes são espaços de diálogo entre a população e os órgãos públicos, que podem ou não ser organizados oficialmente. Um exemplo, são as associações de bairros.

 

Além dos conselhos, existe a audiência pública. Esta é uma reunião aberta entre organizações que representam a população geral e os órgãos públicos. É uma forma, por exemplo, de debater certas propostas políticas.

 

Existe também a ouvidoria pública, sendo um instrumento de comunicação entre poder público e sociedade civil. A ouvidoria permite um canal para que o público possa exercer seus direitos e fazer denúncias, reclamações ou tirar dúvidas.

 

Porém, sem dúvida, o maior facilitador da comunicação entre governo e população é a tecnologia. Com o crescimento das mídias sociais e dos canais de comunicação online, é muito mais fácil organizar o engajamento social na gestão pública.

 

Um exemplo simples é nas redes sociais. A página dos órgãos devem promover a interação entre público e governo, com enquetes e post que mostram as ações feitas.

 

Por exemplo, pode ser interessante aplicar uma netnografia nas páginas das redes sociais de certo órgão. Com isso, você entende melhor como o povo se sente em relação a certos temas, podendo agir em cima deles para corrigir o curso.

 

Fonte: Editores do Blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *